FALANDO UM POUCO SOBRE AÇÕES

Tempo de leitura: 5 minutos

Ações são investimento de renda variável!

Entende-se por renda variável aqueles não garantem uma remuneração no momento da aplicação. Na verdade, eles podem variar de maneira positiva ou negativamente e, portanto, são opções de investimento consideradas de maior risco quando comparadas aos ativos de renda fixa.

Muitos ouvem falar no mercado de ações, mas poucos sabem trabalhar com ele. Por isso, quero explicar os principais aspectos dessa opção de investimento para que você possa entender um pouco mais sobre o assunto.

Uma ação representa a menor parte do capital de uma empresa, ou seja, uma empresa separa uma parte de seu capital e o divide em partes (ações) para que sejam oferecidas aos investidores.

A empresa responsável por organizar e comercializar as ações é a BM&F Bovespa.

O que eu posso afirmar sobre o investimento em ações, é que se trata de uma modalidade de maior risco, quando comparado às outras opções de investimentos, mas com interesse e tempo você poderá estudar e se sentir mais confortável para investir em ações. Vendo que os retorno podem ser de grande impacto´, na tarefa de multiplicar seu patrimônio, a médio e longo prazo.

Em linhas gerais a remuneração costuma a ser bastante vantajosa. No entanto, o contrário também é verdadeiro.

Abaixo segue alguns conceito que irão dar uma visibilidade maior sobre o assunto:

  • Dividendos:

Dividendo é o lucro que o acionista de uma empresa recebe. É correto afirmar que quando uma empresa tem lucro, ela distribui uma parte do lucro para os sócios e acionistas.

Aqui no Brasil, o pagamento mínimo de dividendos pelas empresas aos acionistas é de 25% do lucro. E, além dos dividendos, as empresas também pagam juros sobre o capital próprio, o qual falarei no próximo item.

  • Juros sobre capital próprio: o que é?

O pagamento de juros sobre o capital próprio é uma forma da empresa distribuir o lucro obtido entre os sócios e acionistas.

A grande diferença entre o juros sobre o capital próprio e os dividendos é que o pagamento dos juros sobre capital próprio é considerado como uma despesa da empresa, enquanto que os dividendos não.

Por isso, há incidência de IR retido na fonte sobre os lucros obtidos por intermédio dos juros sobre capital próprio.

  • Subscrição de ações

A subscrição de ações funciona da seguinte maneira: quando um acionista já possui um número de ações de uma empresa, ela oferece a ele a opção de subscrição, ou seja, quando tais empresas precisarem de mais capital e abrirem seus capitais para mais compras de ações, os acionistas subscritos têm a preferência na compra.

Portanto, quando uma empresa lança a subscrição de ações, o acionista é informado sobre quantas ações novas ele poderá adquirir (baseado na quantidade de ações que ele já dispõe) e a qual preço que elas estão sendo comercializadas.

Vale ressaltar que caso o acionista não deseje, ele não é obrigado a exercer o direito de subscrição de ações.

  • Desdobramento das ações

O desdobramento de ações é conhecido como o processo de aumentar o número de ações que estão girando no mercado circulante, com o objetivo de reduzir o preço das ações.

Em outras palavras, há uma propagação da quantidade de ações retidas pelos acionistas na data de transação, expresso sob a relação 3:1, ou seja, para cada ação retida, o acionista receberá três outras ações em troca.

A redução do valor de comercialização da ação possibilita que os pequenos investidores possam ingressar capital das empresas ao adquirir as ações. Sem o desdobramento, tais investidores não conseguiriam arcar com os valores.

  • Grupamento de ações

O grupamento de ações, ao contrário do desdobramento, tem a finalidade para aumentar a liquidez e os valores de comercialização das ações, quando estas estão com preços muito baixos.

Portanto, pode-se afirmar que o grupamento é a junção de ações, a fim de reduzir o total de ações girando no mercado, sem aumentar o seu capital social.

As empresas também podem usar o grupamento de ações como manobra para melhorar a percepção de valor da empresa por parte dos investidores.

  • Recompra de ações

A recompra de ações acontece quando as ações ficam com um valor tão competitivo que as empresas acabam lançando planos para recomprar suas próprias ações. Nesses planos, as empresas fixam prazos para que um determinado número de ações possa ser recomprado.

Mas, afinal, por que as empresas lançam tais planos? Simples, vou te explicar.

Muitas vezes, essas empresas se encontram em uma situação financeira ideal, ou seja, possuem caixa para se garantirem durante uma crise, por exemplo.

Outras vezes, os planos de recompra têm como objetivo aumentar o valor das ações, as quais estão sendo comercializadas abaixo do valor considerado ideal.

Outro motivo que leva ao lançamento do plano de recompra é o fato da reserva financeira utilizada para recomprar as ações não seria tão eficiente se fosse utilizada para o crescimento da própria empresa.

Embora esta última não seja uma prática muito comum, dependendo da realidade financeira do país, a reutilização dos recursos para investimento na própria empresa geraria menor retorno do que a recompra das ações.

Deixe seu comentário que terei o maior prazer em respondê-la!

Comente abaixo o que você achou do artigo e se ele realmente gerou valor para você.

VIVA COM EXCELÊNCIA!

José Roberto Romualdo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *